sexta-feira, 20 de abril de 2012

Do céu ao inferno, Independente quer Parazão 2013 em novo formato

Presidente do time de Tucuruí coloca o modelo do campeonato em xeque Após ser campeão paraense em 2011, o Independente de Tucuruí passa por uma situação completamente oposta. O Galo Elétrico terminou em último na classificação geral do Campeonato Paraense e terá que disputar a seletiva para a Primeira Divisão no próximo ano. O presidente do clube, Deley Santos, aponta o modelo de disputa do Parazão como a principal causa o descenso.
Deley Santos, presidente Independente Tucuruí (Foto: Marcelo Seabra/Jornal O Liberal) – O time foi bem, o campeonato é que é muito reduzido. Claro que fizemos más partidas, faltou garra e um melhor desempenho de alguns jogadores, mas são só oito clubes disputando, o que torna a competição muito parelha. Ficamos somente a três pontos do 6º colocado, o primeiro time fora da zona. Na forma atual, teremos que disputar no segundo semestre a seletiva para a primeira divisão, o que é uma loucura! Como montar um time com jogadores de fora para disputar um torneio de 30 dias? – indagou. Mas o mandatário tucuruiense não perde as esperanças de permanecer na elite do futebol local. Isso porque o clube aguarda a reunião do Conselho Técnico da Federação Paraense de Futebol (FPF), que estuda a possibilidade de aumentar o número de clubes participantes da primeira divisão, passando de oito para dez times. – No próximo dia 5 o Conselho Técnico vai se reunir para decidir como será o novo campeonato. Sou a favor de que aumente para dez o número de clubes. Sendo assim, ninguém cairia esse ano, somente subiriam mais duas equipes. O modelo atual de competição é uma loucura, só no Pará um time pode disputar a Segunda Divisão, vencer, e mesmo assim não chegar à elite do futebol. Isso tem que ser reavaliado – analisa Santos. O Campeonato Paraense, atualmente, é dividido em três etapas: Segunda Divisão, Primeira Divisão (1ª fase) e Primeira Divisão (2ª fase). A “Segundinha” é disputada por nove clubes, com os dois melhores subindo para a Primeira Divisão, quando disputarão a primeira fase, onde agora está o time de Tucuruí. Nessa etapa, os dois clubes ascendentes se unirão a outros seis para pleitear duas vagas para a Primeira Divisão (2ª fase), principal etapa do torneio Estadual. Enquanto aguarda a decisão da FPF, Deley começa a arrumar a casa. Com o projeto ambicioso de construir um Centro de Treinamentos e investir em categorias de base, a diretoria começa a liberar os jogadores e pegar as pendências trabalhistas. – Como a próxima competição será somente em outubro, estamos liberando os jogadores e pagando as rescisões. Esse é o período mais difícil. Com o dinheiro que sobrar vamos comprar um terreno para a construção do CT. Por Pedro Cruz - Globoesporte.com/pa

quarta-feira, 4 de abril de 2012

o Galo pode voltar!

Parazão pode ter mudança na fórmula de disputa

Ainda não tem uma data definida para a reunião dos representantes dos clubes com a Federação Paraense de Futebol (FPF), para a definição do calendário e da fórmula de disputa do Campeonato Paraense nos próximos dois anos. A reunião deverá acontecer após o encerramento do Parazão 2012.

Segundo o estatuto do torcedor, só é possível alterar a fórmula de disputa de um campeonato após dois anos. A idéia dos dirigentes dos clubes seria o aumento do número de participantes no campeonato, passando de oito para 10 equipes.

O presidente da FPF, Antônio Carlos Nunes, é a favor de uma mudança no Estadual. “A mudança seria uma boa atração. Sou a favor da criação de duas chaves de seis times cada. Uma chave com equipes da capital e região metropolitana e outra com os clubes do interior”, afirma Nunes.

A federação vai esperar o calendário oficial da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para saber se é possível fazer alteração no futebol paraense. Se houver a mudança de disputa, com a inclusão de times, as duas equipes que tiveram a menor pontuação geral, São Raimundo e Independente Tucuruí, estarão livres do rebaixamento.

(DOL)

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Galo dispensa todo o elenco. 'Hoje vão 10', diz presidente

Depois de ganhar visibilidade nacional ao enfrentar o São Paulo (SP) até mesmo no Morumbi pela Copa do Brasil, o Independente, atual campeão paraense, também colocou no currículo o rebaixamento para a 1ª fase (correspondente ao que seria a segunda divisão) do Parazão. Com isto, logo nesta segunda-feira (2), o presidente Deley Santos anunciou,em primeira mão ao Portal ORM, que dispensará todos os jogadores. 'Só hoje, vão 10 embora daqui', declarou.

As dispensas no Galo, aliás, serão feitas através do 'sistema de grupo'. 'Temos atualmente 30 jogadores no elenco e, por isso, vamos fazer as dispensas assim. Hoje são 10 e depois de amanhã são mais dez. Na sexta-feira, são os outros 10', adiantou.

Sem jogadores, o Independente mudará o foco para tentar modificar o sistema de atuação do clube em relação ao futebol, como explicou o presidente Deley: 'Neste ano, a máxima do campeonato foram os jogadores das bases dos clubes. Vamos em busca disso para o campeonato de 2013, lutando para formar nossa divisão de base. Os jogadores formados dentro do clube são do clube, são mais baratos e ainda podem render dinheiro. Estamos tentando comprar um terreno, com ao menos um campo para iniciar nosso CT (Centro de Treinamento)', disse o presidente. O dinheiro usado para a compra deste terreno ainda é oriundo da participação na Copa do Brasil.

Jogadores de saída - Perguntado sobre a possível ida do zagueiro Ádson para o Paysandu, Deley disse que o jogador está totalmente livre para deixar o clube tucuruiense. Além dele, outros jogadores devem atuar por times regionais no campeonato brasileiro. 'O Águia também já me procurou perguntando sobre jogadores. Ficaram de me enviar os nomes dos atletas que despertaram interesse neles', revelou.

No entanto, o atleta que já está de mudança feita é o atacante Thiago Floriano, que chegou a receber contatos de clubes paulistas, mas, conforme o presidente do Galo, acertou contrato com o Santa Cruz de Cuiarana, em Salinópolis, nordeste paraense.

Carlos Fellip (Portal ORM)

domingo, 1 de abril de 2012

Independente Tucuruí briga contra o rebaixamento

O Independente Tucuruí fez história no Campeonato Paraense 2011, com a conquista do título. Pela primeira vez um time do interior se sagrava campeão do Estadual. Mas em 2012 as coisas estão complicadas para o Galo Elétrico. O time corre o risco de ser rebaixado para a primeira fase do Parazão 2013. Por tudo que aconteceu com o clube na temporada passada, todos acreditavam no crescimento do Independente neste ano. Mas a realidade é outra. O atual campeão corre risco de rebaixamento. Com apenas 13 pontos na classificação geral, a equipe terá a obrigação de vencer o Águia de Marabá no próximo domingo (1º), em Tucuruí, para evitar a queda. Os dirigentes não sabem explicar os motivos das fracas atuações do time na atual temporada. “Ninguém entende esta campanha. Estamos com os pagamentos em dia, mesmo com uma folha de 130 mil por mês”. Já para o técnico Válter Lima o que faltou para o time foi estrutura. “Um time que foi campeão tem que se planejar para a próxima temporada. O planejamento não foi adequado para um time que teve a conquista do Estadual”, declarou. Valter chegou no Independente no final do 1º turno do Parazão. O treinador lembra que os excessos de viagens atrapalharam o Independente. Antes da partida contra o São Paulo, pela Copa do Brasil, a equipe liderava o campeonato com seis pontos. “Com os desgastes de jogos e viagens em duas competições diferentes, a equipe perdeu o equilíbrio. Houve um declínio por essa maratona”, conclui. Para Valtinho só com trabalho o time vai conseguir o objetivo de chegar à classificação para as semifinais da Taça Estado do Pará. O treinador lembra que quando chegou ao clube, o Independente tinha apenas um ponto. “Trabalhamos e pontuamos bem, mas ainda não foi o suficiente. Vamos trabalhar para vencer o Águia e entrar no G4”, finaliza o treinador. (DOL)

quinta-feira, 29 de março de 2012

Após empate, Galo precisa vencer em casa

Mais uma vez o velho ditado veio à tona: quem não faz, leva. A quantidade de gols perdidos pelo Paysandu na noite de ontem contra o Independente, no Mangueirão, fez com que o torcedor bicolor, que quase não compareceu como de costume, saísse do estádio chateado e querendo mudanças no ataque do Papão. O time do técnico Lecheva começou bem a partida com um bonito gol do lateral Yago Pikachu, aos 17. O Papão sofreu empate aos 25, com o atacante tricolor Felipe Gaúcho, mas desempatou dois minutos depois com Heliton. Porém na etapa complementar a equipe voltou a perder muitos gols e acabou sofrendo o gol de empate. Thiago Floriano aproveitou a bobeada da zaga bicolor e igualou o jogo. Sem ter nada a ver com isso, o Independente conseguiu segurar a pressão bicolor arrancando um importante empate fora de casa. Com o ponto conquistado, o time de Tucuruí continua vivo no returno, com chance de se classificar à semifinal e, ainda, reduziu para três pontos a distancia da Tuna, primeiro time fora da zona de rebaixamento e que entra em campo hoje à noite contra o Remo, para o fechamento da sexta rodada. O Galo também não deixou o São Raimundo, penúltimo colocado, se distanciar na classificação geral. Com um volume de jogo superior ao visitante, o Papão controlava a partida com toque de bola e partindo nos contra-ataques com a velocidade de Thiago Potiguar e Heliton. No segundo tempo, antes de tomar o gol de empate, o bicolor teve duas oportunidades de ampliar com Potiguar, mas aos 25, após confusão na área, Thiago Floriano empatou o jogo. Aos 30, o Paysandu teve sua última chance de desempatar com Adriano Magrão, que recebeu cruzamento de Potiguar, porém não conseguiu finalizar com precisão. Depois disso, o jogo ficou de morno para frio e o Papão decepcionou mais uma vez o seu torcedor. COMPLICOU PRO GALO Ciente da situação delicada da equipe na competição, o técnico do Galo Elétrico, Valter Lima, considerou o empate com o Paysandu um placar normal. “O Paysandu teve maior volume de jogo, mas não foi tão efetivo. Nós criamos as chances e aproveitamos”, disso o treinador. Agora o Independente retorna para Tucuruí com uma missão dupla. Vencer o Águia de Marabá no Navegantão para chegar à semifinal deste segundo turno e ainda somar pontos na classificação geral para tentar escapar da zona de rebaixamento para a seletiva do Paraense. Por isso que a diretoria do tricolor elétrico decidiu colocar o ingresso do jogo de domingo a tarde ao custo de dois reais. “É uma boa atitude, porque isso chamará a nossa torcida para o estádio. Mas isso não ganha jogo, o que adianta o torcedor ir ao Navegantão e o time não jogar bem”, ponderou Valter Lima. QUE SITUAÇÃO Agora, o Paysandu vai ter que decidir sua classificação fora de casa contra o carrasco do primeiro turno, São Raimundo. O técnico Lecheva terá que quebrar a cabeça nesses três dias que restam para a partida para definir a melhor formação, porque acabou perdendo três jogadores importantes para o jogo. Vanderson sentiu uma lesão na coxa e está de fora da equipe por 12 dias. Kariri forçou o terceiro cartão amarelo e está suspenso do próximo jogo. Já o volante Neto, que entrou ainda no primeiro tempo, recebeu o segundo cartão amarelo no jogo e foi expulso. Para Lecheva, o time bicolor não rendeu o esperado Displicente. Foi assim que Lecheva, técnico do Paysandu, classificou o comportamento de sua equipe no empate de ontem à noite diante do Independente, no Mangueirão. De acordo com o treinador bicolor, apesar de o Papão ter controlado boa parte da partida, o time não mostrou o interesse necessário com o jogo, aparentando certo salto alto dos jogadores contra o desesperado Galo Elétrico. “Eu conversei com eles ainda no intervalo sobre o comportamento dos jogadores na partida. O time ainda deu uma reagida no início do segundo tempo, mas depois voltou a ser displicente e por isso saímos de campo com o empate”, declarou Lecheva. Para Thiago Potiguar, um dos melhores jogadores bicolores em campo, a equipe não pode mais perder a quantidade de gols que vem perdendo neste campeonato se quiser ser campeão do estadual. “Não sei o que está acontecendo, as chances estão sendo criadas mas não estamos conseguindo concluir”, acrescentou. Agora, Lecheva terá que contabilizar os desfalques para o decisivo jogo contra o São Raimundo no próximo domingo, em Santarém. O treinador perdeu o seu capitão Vanderson por duas semanas, devido a um estiramento no músculo da coxa, perdeu o volante Neto expulso e ainda viu o meia Kariri forçar o terceiro cartão e também ficar de fora. Para o meio campo, Lecheva tem o imediato Robinho, porém o jogador não vem rendendo o esperado. “O Robinho do Cametá de 2011 ainda não apareceu”, cobrou o técnico. E para substituir o Vanderson, o comandante terá que escolher entre os jovens Pitbull e Danilo. “Agora é tentar aproveitar esses poucos dias para ver quem tem condições de jogar domingo contra o São Raimundo”, completou Lecheva. Diário do Pará)

Empate complica Independente e Paysandu

O Paysandu recebeu na noite desta quarta-feira (28) o Independente Tucuruí no Mangueirão, e teve a chance de encaminhar a classificação para as semifinais do segundo turno do Parazão 2012, mas o time bicolor perdeu várias chances de gol e cedeu o empate para o Independente. O resultado de 2 a 2 deixa a definição do futuro das equipes para a última rodada do turno. No próximo domingo (01/04) o Paysandu enfrenta o São Raimundo em Santarém, e se classifica com uma vitória sobre o adversário. Em caso de empate, o Papão precisa torcer para o Independente não vencer - em casa - o Águia de Marabá. O Independente precisa vencer o Águia em casa e torcer para o Paysandu não conseguir os 3 pontos em Santarém. Veja como foi o empate no Mangueirão entre os concorrentes diretos a uma vaga nas semifinais do 2º turno: 1º TEMPO 1 minuto: Começa o jogo no Mangueirão. 2 minutos: Thiago Potiguar fez boa jogada pela esquerda e tentou o passe para Heliton, mas a zaga do Independente estava atenta e cortou o lance. 5 minutos: Mais uma boa jogada de Potiguar pelo lado esquerdo, mas o cruzamento foi alto demais e passou por todo mundo. 8 minutos: Bom ataque do Independente, a troca de passes chega aos pés de Gian, o meia rolou para Thiago Floriano arriscar da entrada da área, mas o jogador pegou mal na bola. 9 minutos: Heliton cruzou para Thiago Potiguar, mas o meia bicolor estava impedido. Ele chegou a tocar para Adriano Magrão completar para o gol dentro da pequena área, mas o juiz já havia paralisado o lance. 10 minutos: Yago Pikachu arrancou pelo lado direito e tentou o chute direto, mas mandou para fora. 14 minutos: Golaço do Paysandu! Yago Pikachu roubou a bola de Ednaldo, avançou pela intermediária e soltou a bomba no ângulo, abrindo o placar da partida. 15 minutos: O Paysandu começou melhor e chegou ao primeiro gol quando o Independente começava a equilibrar a partida. 17 minutos: O Independente chegou pela direita com Lima, mas o goleiro Paulo Rafael cortou o cruzamento. No contra-ataque do Paysandu, Adriano Magrão invadiu a área e tentou o cruzamento rasteiro, o goleiro Dida defendeu. 19 minutos: Em boa troca de passes do Paysandu, Adriano Magrão envolveu a zaga do Independente e deixou de calcanhar para Billy, que soltou a bomba de fora da área, mas a bola passou à direita do gol. 22 minutos: Mais um contra-ataque rápido do Paysandu pela direita, Heliton tentou o cruzamento e a defesa do Independente conseguiu cortar. 25 minutos: Partida empatada! Gian lançou Ednaldo na esquerda, o lateral cortou a zaga e tocou para Felipe Gaúcho empatar a partida. 27 minutos: Mais um do Paysandu! Vânderson puxou o contra-ataque desde o campo bicolor e arrancou até ficar cara-a-cara com o goleiro Dida, mas o volante bicolor rolou para o lado direito, e Helitn ficou com o gol livre para marcar o segundo gol do Paysandu. 30 minutos: O capitão Vanderon sentiu uma lesão no joelho e pediu substituição. O volante Neto entrou na partida. 31 minutos: O meia Gian recebeu cartão amarelo. 34 minutos: Thiago Floriano arriscou de primeira da entrada da área, mas chutou muito alto. 35 minutos: O Independente chegou de novo à área bicolor, mas Thiago Floriano não conseguiu alcançar o passe e o zagueiro Douglas afastou o perigo. 36 minutos: Ednaldo fez boa jogada pelo lado esquerdo, chegou à linha de fundo e tentou o cruzamento rasteiro, a zaga Paysandu afastou mais uma. 37 minutos: O Independente pressiona. Em mais um cruzamento para a área, a zaga do Paysandu afastou mal e Fidélis pegou de primeira de fora da área, mas Paulo Rafael defesa. 38 minutos: O Paysandu tentou voltar ao ataque e o juiz marcou falta em Heliton. Thiago Potiguar arriscou a cobrança direta, mas mandou por cima do gol. 41 minutos: A troca de passes do Paysandu no campo de ataque chegou ao meia Kariri, que ajeitou para a perna esquerda e arriscou o chute, mandando por cima do gol. 44 minutos: Heliton invadiu a área em velocidade pelo lado esquerdo e tentou o toque para Adriano Magrão, mas a bola parou na zaga do Independente. 45 minutos: Felipe Gaúcho bateu da entrada da área e o goleiro Paulo Rafael fez grande defesa, espalmando para escanteio. 46 minutos: Termina o primeiro tempo. 2º TEMPO 1 minuto: Bola rolando para o 2º tempo, o Independente voltou com Alexandre Goiano no lugar de Alexandre Recife. No Paysandu, o meia Kariri passou mal e quase foi substituído por Robinho, mas voltou para o campo. 2 minutos: Dida saiu do gol para cortar o cruzamento de Thiago Potiguar e ficar com a bola. 4 minutos: Adriano Magrão recebeu boa bola na área, mas se atrapalhou e perdeu a chance de ampliar o placar. 5 minutos: O Independente já se preparava para cobrar uma falta, quando o meia Kariri mexeu na bola intencionalmente e recebeu o cartão amarelo que tira o jogador da última rodada, mas deixa o jogador sem cartões para a fase semifinal. Logo após a cobrança, Kariri desabou em campo e pediu a substituição. 6 minutos: Robinho entrou no lugar de Kariri. 8 minutos: Em mais uma chance para ampliar, Thiago Potiguar acertou a trave. 10 minutos: Thiago Potiguar tentou mais uma, e desta vez o goleiro Dida fez grande defesa. 11 minutos: Adriano Magrão tentou jogada individual na entrada da área do Independente e foi derrubado por Preto Barcarena. Dida foi advertido com o cartão amarelo por reclamação. Falta perigosa para o Paysandu. 12 minutos: Billy tentou a cobrança por cima da barreira mas mandou por cima do gol. 14 minutos: Contra-ataque rápido do Paysandu, Thiago Potiguar invadiu a área em velocidade pelo lado esquerdo e tentou o cruzamento rasteiro para Heliton, o atacante tentou entrar de carrinho mas não alcançou a bola. 16 minutos: Substituição no Paysandu, Bartola entra em campo no lugar de Heliton. 17 minutos: Em falta perigosa para o Independente ao lado da área, Gian cruzou na pequena área e a zaga do Paysandu desviou para escanteio, a bola passou muito perto do gol. Na cobrança de escanteio, Paulo Rafael cortou de soco e afastou o perigo. 18 minutos: Felipe Gaúcho recebe na entrada da área e chuta forte, mas por cima do gol. 19 minutos: Mais um contra-ataque veloz do Paysandu pelo lado esquerdo, mas o cruzamento rasteiro foi cortado pela zaga do Independente. 22 minutos: Preto Barcarena fez falta dura e recebeu o cartão amarelo. 23 minutos: Neto parou o contra-ataque do Independente e também recebeu o cartão amarelo. 25 minutos: Empate do Galo! Cruzamento para a área do Paysandu, a zaga não consegue cortar e Thiago Floriano aproveita a sobra na pequena área, batendo no cant direito de Paulo Rafael. 26 minutos: No contra-ataque do Paysandu, Yago Pikachu ficou com a sobra fora da área, driblou dois adversários e foi derrubdo. Ele mesmo cobrou a falta, e quase acertou o ângulo esquerdo do goleiro Dida, mas a bola passou por cima do gol. 28 minutos: O Independente mexe no time, Gian deixa o jogo para a entrada de Gegê. 29 minutos: Mais uma joagada em velocidade do Paysandu que sobrou para o atacante Adriano Magrão, mas o atacante furou e não conseguiu a finalização. A arbitragem já interrompia a partida marcando o impedimento. 31 minutos: O Independente vai para o ataque tentando a vitória, e o técnico Válter Lima coloca mais um atacante em campo, tirando Alexadre Goiano para a entrada de Ró. 35 minutos: O Paysandu tenta voltar ao ataque e teve um escanteio a seu favor, mas o cruzamento de Yago Pikachu foi direto nas mãos do goleiro Dida. 41 minutos: Boa jogada de Bartola, que recebeu de Adriano Miranda no lado esquerdo, cortou o zagueiro e tentou o chute de perna direita, mas foi travado pela zaga do Independente. 42 minutos: Neto comete falta, recebe o segundo cartão amarelo e é expulso de campo. 45 minutos: Bartola recebe boa bola na esquerda e tenta o cruzamento, mas a zaga do Galo corta para escanteio. Na cobrança, Dida subiu para afastar. 47 minutos: Na última chance da partida, Adriano Magrão tentou o drible dentro da área do Galo, mas na hora do chute foi travado pela zaga. 48 minutos: Fim de partida. FICHA TÉCNICA Paysandu: Paulo Rafael; Yago Picachu, Douglas, Thiago Costa e Brayan; Vanderson (Neto), Billy, Kariri (Robinho) e Thiago Potiguar, Heliton (Bartola) e Adriano Magrão. Técnico: Lecheva. Independente: Dida; Lima, Adson, Preto Barcarena e Ednaldo; Alexandre Recife (Alexandre Goiano), Sandro, Fidélis e Gian (Gegê); Thiago Floriano e Felipe Gaúcho. Técnico: Valter Lima. Local: Estádio Olímpico Edgar Augusto Proença (Mangueirão) Árbitro: Joquetam Moreira Guimarães (DOL)

quarta-feira, 28 de março de 2012

Valtinho tem dois problemas no Independente

O jogo de hoje é decisivo nas pretensões do Galo Elétrico no Campeonato Paraense 2012. O técnico Válter Lima tentou encontrar a melhor formação para reerguer o time na competição. Ele possui dois desfalques certos. O meia Marçal, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, e o lateral-direito Silva, vetado pelo departamento médico por dores no joelho. O meia-atacante Thiago Floriano deve substituir Marçal e, para a vaga de Silva, o técnico possui algumas opções, mas preferiu deixar a decisão para hoje. O atacante Ró também pode não jogar. Caso não entre, Felipe Gaúcho ou Kaká já estão de sobreaviso. Segundo Válter, Ró está um pouco abatido, vítima, do que classifica o treinador, da maior dificuldade enfrentada pelos tucuruienses: a intensa sequência de jogos que o Independente fez durante as primeiras rodadas do Parazão. “Nós fizemos uma sequência de viagens entre Campeonato Paraense e Copa do Brasil que nenhum time no Brasil fez. Ficamos 20 dias fora de casa, jogando direito e eu não poupei nenhum jogador”, expõe. Para o treinador, o desgaste foi um dos fatores que resultaram em resultados ruins acumulados pelo time. “Não pode ser considerado ‘o fator’, mas atrapalhou. Mas, agora, tivemos uma boa recuperação e esperamos nos reabilitar diante do Paysandu para confirmamos nossa vaga”, deseja. (Diário do Pará)

terça-feira, 27 de março de 2012

Galo Elétrico faz as contas para não cair

A situação do Independente na tabela do segundo turno e na classificação geral é antagônica. Na Taça Estado do Pará, o Galo Elétrico se mantém em quarto lugar, mesmo tendo sofrido uma derrota no último sábado para o São Raimundo. Já no geral, ele é o lanterna. A situação incômoda muito se deve a pífia campanha no primeiro turno: na Taça Cidade de Belém, os tucuruienses amargaram a última colocação com apenas cinco pontos conquistados. Em outras palavras: o atual campeão paraense precisa de um bom desempenho no returno para não cair para a primeira fase do Estadual em 2013. Algo que ninguém imagina em Tucuruí. “Não, não. Nós vamos dar a volta por cima. Não podemos pensar em cair agora, depois de ter conquistado o título paraense e já estarmos montando o nosso centro de treinamento”, afirma Deley Santos, presidente do Independente. Restando somente mais duas rodadas, o técnico Válter Lima e seus jogadores já fazem as contas: o Galo pode chegar a 14 pontos. Com essa pontuação, se classifica. O problema é que os dois últimos jogos são justamente com os concorrentes direto na disputa: Paysandu, em terceiro lugar e Águia, em quinto. Para o primeiro jogo decisivo, contra o Papão, já nesta quinta-feira, Válter iniciou treino no domingo, um dia após o último jogo. (Diário do Pará)

segunda-feira, 19 de março de 2012

Independente deixa o São Francisco empatar em Santarém

Um empate com sabor de vitória. Assim que se sentiu a torcida do São Francisco na noite deste domingo. Jogando em casa, a equipe santarena iniciou perdendo a partida logo no início, quando chegou a ver o placar em desvantagem tripla ainda aos 19 minutos. Porém, talvez inspirados com a impressionante recuperação do Olímpia (PAR) sobre o Flamengo no meio de semana pela Libertadores, conseguiram fazer com que a partida terminasse empatada em 3 a 3. O Independente de Tucuruí foi um visitante incômodo. Iniciou a partida de forma fulminante. Logo aos 11 minutos, o atacante Thiago Floriano foi derrubado na área pelo goleiro Jader. O árbitro Benedito Pinto da Silva achou que a jogada foi irregular e marcou a penalidade máxima. O lateral-direito Tote cobrou bem e inaugurou o placar para o Galo Elétrico. O gol logo no início da partida pegou de surpresa os donos da casa, que sentiram o baque. Cinco minutos depois a zaga mocoronga falhou e, dessa vez, nada impediu que Thiago Floriano deixasse o dele, que driblou Jader e mandou pro fundo das redes: 2 a 0 Independente com 19 minutos de jogo. No fim da primeira etapa, Silva cruzou para Felipe Gaúcho aumentar a vantagem para 3 a 0, mas 4 minutos depois, o artilheiro do Leão, Emerson Bala, descontou para os santarenos. Na etapa derradeira, o Gigante do Tapajós veio com tudo correndo atrás do prejuízo. Com 10 minutos, Ricardinho fez bela jogada e marcou o gol que deu esperanças a torcida no Barbalhão. O jogo continuou aguerrido, com muitas chances para cada lado. Mas o certame só foi definido nos acréscimos, quando Emerson Bala, aos 48 minutos, marcou o gol de empate. (Diário do Pará)

quinta-feira, 15 de março de 2012

Thiago Floriano pode deixar o Galo


Apesar de ter sido eliminado com uma goleada de 4 a 0 no Morumbi pelo São Paulo, o balanço da campanha do Independente na Copa do Brasil 2012 'foi muito positivo', como declarou ao Portal ORM, o presidente do Galo, Deley Santos. Porém, se por um lado, veio dinheiro e visibilidade, por outro pode significar a saída de um dos principais jogadores do time de Válter Lima: o meia atacante Thiago Floriano.

Autor do gol anulado do Independente no primeiro confronto com o Tricolor paulista, no Mangueirão, Thiago Floriano foi um dos que mais chamaram atenção também no segundo jogo, quando protagonizou a única grande chance de gol do Galo, ainda no primeiro tempo, em uma arrancada do meio de campo até a área e um chute cruzado que parou na mão direita do goleiro Denis.

De acordo com o presidente Deley, a visibilidade adquirida pela equipe na competição pode fazer com que o meia atacante deixe o Galo ainda durante o campeonato paraense e sem deixar nada nos cofres do atual campeão paraense.

'Ele foi o único jogador que recebeu sondagens e tem possibilidades de ser negociado. O problema é que o Thiago é um atleta que tem seu passe preso a um empresário e, portanto, sem vínculo algum com o Independente. Em outras palavras, ele pode sair e o Independente ficar sem direito a nada', disse. Entre os clubes interessados, Deley declarou: 'Só fomos comunicados pelo empresário sobre estes interesses. Acreditamos que alguns clubes sejam mesmo de São Paulo, mas nem isso temos certeza, porque não nos foi dito'.

Mas como então considerar uma campanha positiva se a mesma deixou o clube com o risco de perder um jogador desta forma? Deley explica que o fator mais positivo para o Independente foi o financeiro:

'Como conseguimos levar a decisão para o Morumbi, ficamos com uma renda de mais R$ 360 mil do Mangueirão. Além disso, temos a cota de participação paga pela CBF, que é de R$ 120 mil. Uma parte do dinheiro já usamos para quitar dívidas que adquirimos na Série D, com investidores e com o atacante Jaílson e o volante Sam (que atuaram pelo Galo na quarta divisão do Brasileiro), porém ainda temos dinheiro em caixa para a compra do terreno onde vamos construir o nosso CT (Centro de Treinamento)', disse.

Aliás, sobre o CT, Deley foi ainda mais além e declarou: 'Já vimos, inclusive, o terreno. Fica próximo ao aeroporto de Tucuruí, a cinco quilômetros do Navegantão. É uma boa área. Vamos montar o nosso projeto e ir ao primeiro passo, que é a aquisição do espaço'.

O Independente chega de São Paulo a Belém, às 14h desta quinta-feira (15) e irá para Santarém somente no sábado (17) para enfrentar o São Francisco, às 18h30 no Colosso do Tapajós, pela quarta rodada do Parazão.


Redação Portal ORM

quarta-feira, 14 de março de 2012

Tricolor faz primeira ‘final’ do ano, contra o Independente Tucuruí

Disposto a encerrar o jejum de títulos que já dura três anos, o São Paulo foi às compras neste início de 2012. Além de promover uma grande reformulação no elenco, trouxe sete reforços. Para mostrar em números o quanto foi investido, Jadson custou R$ $ 8,7 milhões e mais 30% dos direitos econômicos do volante Wellington, avaliado em R$ 6,9 milhões. Para tirar Cortez do Botafogo, foram pagos R$ 6 milhões. Mesmo assim, o time está longe de mostrar o futebol que todos esperam. Nesta quarta-feira, às 19h30m (horário de Brasília), no Morumbi, o Tricolor, longe do ideal, terá sua primeira "final" da temporada, contra o Independente-PA, pela Copa do Brasil.

Na teoria, a equipe paraense não oferece perigo. Tem uma folha salarial de apenas R$ 120 mil, dos quais R$ 8 mil são pagos para o seu principal jogador, o meia Gian. Líder do segundo turno do Campeonato Paraense, o Galo Elétrico luta com todas as dificuldades para garantir uma vaga na Série D do Brasileiro. Além disso, o Tricolor entrará em campo diante do seu torcedor com a vantagem de poder empatar, já que venceu o jogo de ida por 1 a 0, na semana passada.

A fatura está liquidada então? Muito pelo contrário. A Copa do Brasil tem na sua história diversas zebras. Além do mais, o São Paulo entrará em campo pressionado por não ter decidido a vaga no jogo de ida, como era esperado por todos no clube. A obrigação e a responsabilidade da vitória estão todas com o Tricolor que, triunfando, alcançará a quinta vitória seguida, algo inédito na atual temporada.

O goiano Elmo Alves Resende Cunha irá apitar a partida, auxiliado por Christian Passos Sorence e Evandro Gomes Ferreira, também de Goiás. O vencedor deste duelo enfrentará na segunda fase quem passar do confronto entre Bahia de Feira de Santana (BA) e Aquidauanense (MS), que também decidem vaga nesta quarta-feira. No duelo de ida, a equipe do Mato Grosso do Sul venceu por 1 a 0.

ESCALAÇÕES
São Paulo: o técnico Emerson Leão não tem grandes problemas para armar a equipe, que terá o reforço do zagueiro Paulo Miranda. Ele não atuou diante da Portuguesa porque estava suspenso com três cartões amarelos. A equipe deverá jogar com: Denis; Rodrigo Caio, Paulo Miranda, Rhodolfo e Cortez; Denilson, Casemiro, Jadson e Cícero; Lucas e Luis Fabiano.

Independente: Satisfeito com o desempenho da equipe na partida de ida conta o São Paulo, em Belém, o técnico Valter Lima deve manter praticamente o mesmo time: a única mudança deve ser a entrada de Rafael Vieira no lugar de Bruno Vieira. Assim, a equipe entra em campo com: Dida; Preto Barcarena, Adson e Alexandre Recife; Lima, Silva, Fidélis, Gian e Rafael Vieira; Tiago Floriano e Ró.


DESFALQUES
São Paulo: Rogério Ceni (lesão no ombro direito), Wellington (operado por causa da ruptura do ligamento cruzado do joelho esquerdo), Cañete (contusão no joelho direito), Douglas (problema no púbis) e Fabrício (contratura muscular na coxa direita).

Independente: Sem desfalques.

DESQTAQUES
São Paulo: alvo de polêmica Emerson Leão nos últimos dias, o meia Lucas espera recuperar o bom futebol do início da temporada 2012. O meia-atacante vinha sendo muito criticado pelo excesso de individualismo nas jogadas ofensivas. Tanto que, no jogo do último domingo, contra a Lusa, limitou-se a tocar a bola e disse que estava fazendo isso porque havia sido orientado. Após se reunir com a comissão técnica e com os companheiros na segunda-feira, o camisa 7 quer esquecer as dificuldades e voltar a mostrar o futebol que o tornou figurinha carimbada na Seleção Brasileira comandada por Mano Menezes.

Independente: Meio-campista com passagens por grandes clubes brasileiros na década de 90, Gian chegou ao Independente, aos 37 anos, como principal reforço e esperança da equipe na Copa do Brasil .

O QUE DISSERAM?
Emerson Leão, técnico do São Paulo: “É preciso atuar de maneira inteligente. A nossa obrigação e a nossa responsabilidade só aumentaram após o jogo de quarta passada, quando não fomos bem e, mesmo assim, saímos de campo com a vitória. A semana foi importante porque nunca se falou tanto a palavra exigência. Mas não adianta ficar só falando, é preciso entrar em campo e mostrar”

Gian, atacante do Independente: “Expectativa é grande de fazer um grande jogo contra o São Paulo. Não somente nós, mas como também a nossa torcida e todo o povo de Tucuruí. Esperamos corresponder dentro de campo”.


NÚMEROS E CURIOSIDADES
* O São Paulo tem ótimo aproveitamento jogando como mandante na Copa do Brasil. Até agora, em 37 partidas disputadas, o time venceu 26, empatou sete e perdeu apenas quatro, o que dá um aproveitamento de 81% dos pontos. O ataque, até agora, marcou 94 gols e a defesa foi vazada em 25 oportunidades.
* O Tricolor não perde no Morumbi desde o dia 2 de outubro do ano passado, quando caiu diante do Flamengo por 2 a 1, no jogo que marcou a reestreia de Luis Fabiano. De lá para cá, foram realizadas 11 partidas, com oito vitórias e três empates.
* Ao longo da história da Copa do Brasil, nunca uma equipe do Pará eliminou um rival de São Paulo. Até agora, foram dez duelos, com dez vitórias paulistas.

A ÚLTIMA PARTIDA
Independente-PA e São Paulo enfrentaram-se na última quarta-feira, no jogo de ida da primeira fase da Copa do Brasil. Diante de 23 mil torcedores no estádio Mangueirão, em Belém, o Tricolor não jogou bem, mas venceu por 1 a 0, com um belo gol marcado pelo meia Cícero, que arrancou do meio-campo e, de pé esquerdo, bateu no canto esquerdo do goleiro Dida. O time paraense, com toda a razão, saiu de campo reclamando da arbitragem, já que teve um gol legítimo anulado no começo da partida.
Globoesporte.com

O sonho embarcou com o Galo

Equipe embarca confiante na vitória. (Foto: Mário Quadros)


O Independente Tucuruí e o Clube do Remo voltam a campo nesta quarta-feira (14) pela Copa do Brasil. O Galo Elétrico vai até o Morumbi encarar o São Paulo, que venceu a primeira partida por 1 a 0 no Mangueirão e O Leão Azul recebe o Real, de Roraima, depois de empatar sem gols no jogo de ida, e o Para o Independente, a missão é complicada.

A equipe precisa vencer o São Paulo por 2 gols de diferença, mas pode se classificar vencendo por diferença de 1 gol se marcar dois ou mais gols, de acordo com o critério de gols marcados na casa do adversário - o São Paulo marcou apenas 1 em Belém.

Se a tarefa parece impossível, basta lembrar que o Galo saiu na frente no placar na primeira partida, mas graças à marcação de um impedimento inexistente, o gol de Thiago Floriano foi anulado. Para tentar surpreender o São Paulo em seu estádio, a equipe do técnico Válter Lima deve entrar com a seguinte formação: Dida; Preto Barcarena, Adson e Alexandre Recife; Lima, Silva, Fidélis, Gian e Rafael Vieira; Tiago Floriano e Ró.

Com uma tarefa bem mais simples, o Remo deve contar com o apoio de sua torcida no Baenão para superar o Real, de Rondônia, e garantir a vaga na fase seguinte contra o já classificado Bahia. Na primeira partida, o Leão foi até o estádio "Ribeirão", em Boa Vista, determinado a eliminar o jogo de volta, mas um empate sem gols frustrou os planos da equipe paraense.

O técnico Flávio Lopes já tem a equipe confirmada para o duelo contra o Real no Baenão: Adriano; Thiago Cametá, Diego Barros, Edinho e Aldivan; André, Jhonnatan, Betinho e Reis; Cassiano e Fábio Oliveira. O treinador optou pela manutenção do zagueiro Edinho no time titular ao lado de Diego Barros. Juan Sosa, que cumpriu suspensão no último domingo (11) contra o Independente, estará no banco de reservas, que conta ainda com Dida, Cássio, Paulo André, Jaime e Joãozinho, além do meia Magnum, que está suspenso no Parazão.

Dos clubes paraenses que disputam a Copa do Brasil, apenas o Paysandu conseguiu a classificação antecipada para a segunda fase do torneio, vencendo o Espigão em Rondônia por 3 a 1 e eliminando o jogo de volta. Na próxima fase os bicolores efrentam o Sport Recife ou o IV de Julho, do Piauí.

(Alexandre Nascimento / DOL)

terça-feira, 13 de março de 2012

Prêmio maior que salário move "zebra paraense" por façanha no Morumbi

Torcida do São Paulo foi maioria no Mangueirão, em Belém Foto: Sidney Sanches/Vipcomm/Divulgação O bolso cheio é uma das grandes motivações do Independente-PA para deixar Belém e viajar até a capital paulista, onde enfrenta o São Paulo no Morumbi, quarta-feira, pela Copa do Brasil. Na última semana, evitar a eliminação dentro de casa significou R$ 2,5 mil para cada jogador da equipe - muitos do elenco ganham R$ 1 mil. O treinador Válter Lima acredita poder vencer o time de Luís Fabiano e confirma o ânimo extra. Que será maior caso o Independente-PA se classifique. "O dinheiro é bem recebido a qualquer momento por qualquer um, mas no futebol isso não é fundamental para se ganhar ou não. A motivação precisa estar aliada ao jogo, mas se não jogar bem, se não tiver qualidade, não vence nem com R$ 1 milhão", afirma Válter ao Terra. Ele confirma o novo prêmio. "Foram repartidos R$ 50 mil e ouvi que existe a possibilidade de se repetir". O bolso, cheio dos jogadores, também está cheio para o Independente. A derrota por 1 a 0 para o São Paulo, há uma semana, significou ficar com 100% da renda de R$ 469 mil obtida no Mangueirão. É o suficiente para pagar quase quatro meses de salários do elenco, campeão paraense em 2011 após só três anos de história no futebol profissional em Tucuruí. "É complicado de trabalhar no interior do Pará, falta estrutura, falta os dirigentes pensarem de forma mais profissional", conta Válter. Fundado em Belém nos anos 70, o clube se mudou para o interior e foi reinaugurado em 2009. A viagem de oito horas até a capital, onde enfrentou o São Paulo, é um dos pontos que o treinador usa para exemplificar sua rotina de trabalho em um Estado com dimensões nacionais. O Navegantão, estádio do clube, não foi liberado pela CBF. "Jogar no Morumbi é momento de visibilidade, mas sou muito tranquilo, não vou forçar a barra para me exibir", promete o treinador de 51 anos que já trabalhou na dupla Remo e Paysandu, além do São Raimundo de Santarém, equipe forte do interior paraense. "Foram boas passagens", avalia. Como jogador, ele fez duas partidas pelo Paysandu e resolveu desistir do futebol. Desistir, entretanto, não é um verbo que o treinador repete quando o tema é Copa do Brasil. "Se você entrar pensando que já perdeu, melhor mudar de profissão. A essência do futebol é ganhar, vamos jogar para ganhar", diz Válter. Um erro da arbitragem, que anulou gol legal do Independente-PA no jogo de ida, poderia até facilitar a tarefa do time de Tucuruí. "O bandeira nos comprometeu e acho que a história seria outra. Ele fez tudo aquilo lá, mas agora já passou". Agora, para o Independente-PA, é a hora de procurar um feito ainda mais improvável que evitar a eliminação em casa contra o São Paulo. Vencer por dois gols no Morumbi. DASSLER MARQUES - Portal Terra

São Paulo vai com força total para duelo contra o Galo Elétrico

Relacionados para São Paulo x Independente-PA Emerson Leão relacionou 19 jogadores para o duelo da noite desta quarta-feira, no Morumbi
A maior esperança do São Paulo é o craque Luis Fabiano O técnico Emerson Leão relacionou 19 jogadores para a partida decisiva diante do Independente-PA, na noite desta quarta-feira, no Morumbi, pela Copa do Brasil. Em relação ao último jogo no Paulista, o zagueiro Paulo Miranda está de volta após cumprir suspensão no Estadual. Jadson, fora da partida em Belém, está na lista e fará a estreia na competição nacional. Por outro lado, Rogério Ceni, Wellington, Fabrício e Cañete seguem no REFFIS e são desfalques para o treinador diante da equipe paraense. PIRIS: Assim como aconteceu com Jadson, que ficou treinando a parte física na última semana, Piris não foi relacionado para o jogo desta quarta-feira e terá uma semana livre para aprimoramento. Ele se recuperou recentemente de um desconforto na coxa esquerda. DESFALQUES: Rogério (cirurgia no ombro direito), Cañete (cirurgia no joelho direito), Wellington (cirurgia no joelho esquerdo) e Fabrício (contratura na panturrilha direita). Confira a lista são-paulina para o jogo: Goleiros: Denis e Léo Zagueiros: Rhodolfo, Paulo Miranda, João Filipe e Edson Silva Laterais: Cortez e Henrique Miranda. Meio-campistas: Jadson, Rodrigo Caio, Casemiro, Denilson, Cícero, Maicon Atacantes: Lucas, Willian José, Fernandinho, Osvaldo e Luis Fabiano

Independente viaja para São Paulo em busca da classificação

Em entrevista à Rádio Clube o Técnico Valter Lima diz que vai para São Paulo para buscar um resultado positivo diante da equipe do tricolor Paulista. Valtinho frisou que existem diversos fatores que podem pesar como a estrutura das equipes, força técnica, condicionamento físico, mas lembrou que esse esporte é o futebol, nele tudo pode acontecer, o pequeno ser goleado pelo grande, como golear. Sua equipe basicamente será a mesma que começou o jogo na última quarta em Belém, com possíveis mudanças no decorrer do jogo, a equipe fez um treino coletivo hoje pela manhã no campo da Tuna Luso e embarca agora a tarde rumo à capital Paulista, amanhã pela manhã faz seu último treino para finalizar a organização do time. Certamente ninguém será improvisado na frente, e dúvidas não existem. O Independente perdeu o último jogo pelo placar de 1 a 0, vencendo pela diferença de 1 gol pode levar o jogo às penalidades, esperamos que o Galo Elétrico possa trazer a classificação para o Pará. O jogo será amanhã (14) no Estádio do Morumbi às 19:30h e será transmitido pelos canais Sportv e ESPN. Dieh Kleine

domingo, 11 de março de 2012

Remo enfrenta o Independente Tucuruí às 10 horas

O Clube do Remo enfrenta o embadalado Independente Tucuruí, hoje, às 10 horas, pela terceira rodada do returno do Campeonato Paraense 2012. A partida ocorrerá no estádio Evandro Almeida, e terá uma arquibancada custando R$ 20 e uma cadeira R$ 50. O Leão corre atrás da vitória para chegar à liderança do turno e continuar sonhando com a vaga na Série D. Para o Galo Elétrico está em jogo a manutenção da liderança do turno e a disputa pelo tão almejado bi-campeonato paraense.
Mesmo em um horário não muito comum e com o preço do ingresso majorado, a equipe azulina espera contar com a força do Fenômeno Azul e com uma manhã inspirada de Betinho e companhia para bater o Independente. Depois da vitória por 4 a 1 contra o Águia de Marabá, o Remo fez duas partidas ruins: empate em 1 a 1 com o São Raimundo, em Santarém; e o empate em 0 a 0 com o Real, em Roraima.
O time de Tucuruí, que garantiu o jogo de volta com o São Paulo, pela Copa do Brasil, promete ir para cima do Remo e manter os 100% de aproveitamento no segundo turno do Parazão 2012 – a equipe venceu a Tuna Luso por 3 a 1, em Belém e o Cametá por 2 a 0, em casa.
Você, torcedor, poderá acompanhar a transmissão do jogo ao vivo pela Rádio Clube do Pará, assim como acompanhar todos os lances da partida no DOL e pelo twitter @DOLdiarioonline.

FICHA TÉCNICA
Remo: Adriano; Thiago Cametá, Diego Barros, Edinho e Aldivan; André, Jhonnatan, Betinho e Reis; Cassiano e Fábio Oliveira. Técnico: Flávio Lopes.
Independente Tucurí: Dida; Toti, Preto Barcarena, Adson e Rafael; Silva, Fidélis, Gian e Marçal; Tiago Floriano e Ró.
Árbitro: Marcos Antônio da Silva Mendonça
Auxiliares: Diórgenes Menezes Serrão e Isaac da Cunha Araújo.
(Felipe Melo, DOL)

quinta-feira, 8 de março de 2012

Independente enche os bolsos e jogadores comemoram viagem a São Paulo

Apesar da derrota por 1 a 0 para o São Paulo, foi difícil ver um jogador do Independente descontente após o apito final do duelo de ida da primeira da fase da Copa do Brasil. Os atletas do time paraense comemoraram muito o fato de virem à capital paulista na próxima semana para decidir a vaga e ainda a grana extra que embolsaram.

Como conseguiu impedir a classificação direta do São Paulo para a segunda fase do torneio, o Independente ficou com 100% da renda do duelo no Mangueirão. No total, foram arrecadados R$ 469.340,00. Se avançasse de forma antecipada, o Tricolor ficaria com 60% do montante.

Questões financeiras à parte, os jogadores comemoraram a possibilidade de viajar para São Paulo e enfrentarem o adversário no estádio do Morumbi na próxima quarta-feira. “Para eles é uma conquista, como se fosse um campeonato conquistado. Jogadores que nunca saíram daqui, agora vão para o Morumbi e tentaremos fazer uma grande partida”, disse o experiente meia Gian, ex-Vasco.

“A Copa do Brasil é uma vitrine muito boa, dá uma renda muito boa. Perdemos, mas estamos muito orgulhosos da nossa atuação”, afirmou o zagueiro Alexandre Recife, um dos destaques do Independente na derrota desta quarta-feira.

Mesmo felizes pela conquista, os jogadores não se esqueceram do gol de Tiago Floriano, anulado de forma equivocada logo aos 2 minutos do primeiro tempo. “Tivemos um gol mal anulado, e ainda assim fizemos uma boa partida dentro das nossas condições”, disse Gian.

“Quando se enfrenta um time grande, o pequeno acaba sempre sofrendo, mas mostramos que temos condições, se não de vencer, mas de fazer uma grande partida”, revelou Alexandre.

Auxiliar erra, São Paulo vence e decisão fica para o Morumbi

Longe da atuação que a torcida e o técnico Emerson Leão ainda esperam no ano, o São Paulo venceu o Independente-PA na noite desta quarta-feira, mas não eliminou o jogo de volta na Copa do Brasil. Com suas principais peças em noite pouco inspirada no Mangueirão, a equipe fez 1 a 0, com Cícero, mas terá de atuar na próxima quarta-feira, no estádio do Morumbi, para definir sua classificação à próxima fase. E o time paulista só saiu de campo com a vitória por causa de um erro absurdo do auxiliar Sergio Campelo Gomes que, aos dois minutos do primeiro tempo, anulou gol legítimo do time da casa, marcado por Tiago Floriano.

A partida marcou o retorno do atacante Luis Fabiano, que estava parado desde o dia 28 de janeiro, quando sofreu uma lesão muscular na coxa direita. O Fabuloso ficou 71 minutos em campo, mas teve atuação apenas regular.
Por ter vencido na ida, a equipe de Emerson Leão terá a vantagem de jogar pelo empate em São Paulo. Já os paraenses têm três combinações para fazer história: vencer por 1 a 0 e ganhar nos pênaltis, ganhar por um gol de diferença, desde que seja por 2 a 1 ou então sair de campo com um triunfo por dois tentos.
Gol mal anulado do time da casa e golaço de Cícero
Com um belo público nas arquibancadas, as duas equipes saíram para o jogo no começo da partida. O Independente, logo em seu primeiro ataque, abriu o marcador com Tiago Floriano, mas o auxiliar Sergio Campelo Gomes, de maneira totalmente equivocada, anulou o lance, alegando impedimento do meio-campista, que não aconteceu. Favorecido, o Tricolor respondeu ao susto inicial no minuto seguinte, em chute de Lucas de pé esquerdo dentro da área, que só não terminou em gol porque Alexandre Recife salvou em cima da linha.
Passado o ímpeto inicial do time paraense, o São Paulo tomou conta da partida. Com mais qualidade técnica, abriu o marcador aos 14, com Cícero, que arrancou do meio com a bola dominada, foi até a entrada da área e, de pé esquerdo, disparou uma bomba rasteira, no canto esquerdo de Dida, que nada pôde fazer.
A partir daí, o jogo caiu de rendimento. O São Paulo, satisfeito com a vantagem, passou a tocar mais a bola. O segundo gol poderia ter saído aos 22, se Fernandinho não errasse o toque para Luis Fabiano marcar. O Fabuloso deu um chute perigoso aos 27 e, no mais, foi bem vigiado pelos três beques paraenses. Lucas, que exagerava nas jogadas individuais, e Casemiro, disperso no meio-campo, foram as principais vítimas das broncas do treinador. Aos 33, no último lance de perigo, Denilson acertou o travessão em cobrança de falta.

Jogo cai de produção na etapa complementar
Ainda acreditando em uma reviravolta, o Independente foi para o segundo com uma alteração. O técnico Valter Lima colocou o atacante Marçal na vaga do lateral-esquerdo Bruno Vieira. Com isso, Tiago Floriano foi recuado do meio para fazer a função defensiva. No Tricolor, Leão manteve os titulares. Casemiro e Lucas assustaram em chutes de fora da área. Luis Fabiano, ansioso para voltar a marcar, quase fez após passe de Cícero.
Aos 14, saiu Fernandinho, que praticamente não acertou nada em campo, e entrou Osvaldo. Com isso, Leão inverteu o lado de Lucas, que passou a jogada pela esquerda. A tentativa com isso era fazer Piris entrar no jogo, já que o paraguaio não apoiava o ataque. No time da casa, Valter Lima sacou Tiago Floriano e colocou mais um atacante: Fernando Gaúcho.
O problema do São Paulo era o individualismo de seus atacantes. Não havia troca de passes, jogadas trabalhadas. Para trabalhar mais a bola no meio-campo, Leão colocou Maicon na vaga de Casemiro. Logo depois, Willian José ficou com a vaga de Luis Fabiano que, após 71 minutos em campo, dava sinais de cansaço.
Nada melhorou. O time passou a errar lances banais e não criou mais nada. O time do Independente, por sua vez, estava feliz da vida já que, com a derrota mínima, garantia 100% da renda para construir seu CT e ainda receberia o bicho de R$ 50 mil prometido por seu presidente por garantir o duelo em São Paulo. Com isso, o jogo se arrastou até o final. Ao término da partida, torcida e jogadores do Independente comemoraram o resultado como se fosse um título.

Gian ainda mostra fôlego no Independente-PA

No dia 20 de março de 1993, em Sydney, na Austrália, a Seleção Brasileira Sub-20 foi a campo para enfrentar Gana, na final do Mundial da categoria. Os africanos saíram na frente. Yan, formado no Vasco, empatou. E a dois minutos do fim, outro vascaíno, Gian, fez o gol da virada. Gol de um título mundial. Gol de um garoto que, na época, colecionava elogios e parecia ter um futuro promissor.

Não foi o que aconteceu. Giancarlo Dias Dantas, o Gian, "bateu na trave". Ainda fez relativo sucesso pelo Vasco, mas na principal conquista do clube, a Libertadores de 1998, ele já havia perdido espaço para Juninho Pernambucano, Pedrinho e os experientes Ramon e Vagner. Não fez nem parte do elenco. E começou a perambular até parar no Independente, de Tucuruí, cidade a mais de 300 quilômetros de Belém, capital do Pará.

Aos 37 anos, ele é o jogador mais conhecido num elenco modesto que mede forças com o São Paulo nesta quarta-feira, no Mangueirão, na estreia da Copa do Brasil.
Até hoje falo com atletas da minha época, como Valdir e Yan. Eu estou aqui, com gás extra, me preparando para pendurar a chuteira em dois anos"

Gian, ex-jogador Vasco, hoje no Independente-PA (Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)

– É o dia de fazer história. Temos consciência do que essa partida representa para o nosso torcedor. Temos de estar na melhor noite das nossas vidas e torcer para que falte inspiração a eles. Mas, acima de tudo, é preciso entrar em campo e acreditar – disse o jogador.
Gian surgiu para o futebol no Matsubara, em 1989. Dois anos depois, foi contratado pelo Vasco e passou a colecionar convocações para as Seleções Brasileira sub-17 e sub-20.
A história dele no futebol é longa. Mas até hoje, sem dúvida nenhuma, guarda com mais carinho os anos que viveu no Vasco.

– Não tem como não ser dessa maneira, foram muitas alegrias, amigos que fiz para a vida inteira. Até hoje converso com vários atletas da minha época, como o Valdir e o Yan, que já pararam. Eu estou aqui, com um gás extra, me preparando para pendurar a chuteira em no máximo dois anos – afirmou.

Enfrentar o São Paulo fazia parte da rotina de Gian quando jogador do time carioca. Ele até já marcou contra o adversário desta quarta-feira. Foi no dia 3 de novembro de 1994, em jogo realizado no estádio do Maracanã e válido pelo Campeonato Brasileiro (veja o vídeo ao lado).
– De falta, fiz um dos gols da vitória por 2 a 0. O outro, se não me engano, foi marcado pelo Valdir Bigode. Lembro muito daquele jogo, nosso técnico era o Sebastião Lazaroni, e o Telê Santana comandava o São Paulo. Hoje a situação é diferente, não há comparação entre a realidade deles e a nossa aqui no Independente, mas espero que a minha canhotinha ainda possa fazer a diferença – disse, bem humorado.

Gian saiu do Vasco em 1998, ano em que o Gigante da Colina levou o caneco da Libertadores. O meia aceitou uma proposta do Lucerna, da Suíça, onde permaneceu por três temporadas. Quando voltou, passou pela Portuguesa Santista e Remo. Em 2005, voltou a jogar pelo Vasco, onde disputou apenas três partidas e, na sequência, retornou ao futebol paraense, onde defendeu o Remo e Paysandu. Passou ainda por Santo André, Ceará e Goiás, onde, em 2008, decidiu parar de jogar.

Gian, com a camisa do Vasco da Gama, em 1993 (Foto: Ivo Gonzalez / Arquivo Agência O Globo)

– Estava cansado, já tinha jogado bastante, achei que era hora de procurar algo para fazer. Só que, em 2009, um amigo meu, gerente do Remo, Abelardo Sampaio, me fez um convite para voltar a treinar. Resolvi aceitar e, em 2010, joguei no Castanhal. No ano passado, vim para o Independente e conquistamos o inédito título paraense. Nunca uma equipe do Interior havia vencido o campeonato. Até hoje me lembro da festa que foi feita na cidade – contou.

Gian, com a camisa do Vasco da Gama, em 1993 (Foto: Ivo Gonzalez / Arquivo Agência O Globo)
Quando já era atleta profissional do Vasco, Gian ainda figurava nas categorias de base da Seleção Brasileira. Foi campeão sul-americano sub-17 em 1991 e mundial sub-20 em 1993. Em 1995, uma fratura na tíbia e no perônio o tirou do grupo que disputou o Pré-Olímpico e a Olimpíada de 1996.
– Lembro que vivia uma grande fase nessa época. Era o vice-artilheiro do Campeonato Carioca, atrás apenas do Túlio Maravilha. Eu me machuquei em um jogo contra o América e fiquei um ano todo parado para me recuperar. Na época, fiquei frustrado, arrasado, mas as lesões também fazem parte da carreira de qualquer jogador.
Com o fôlego renovado, Gian acredita ter caixa para mais um ou dois anos. No entanto, mesmo quando parar, a ideia é continuar trabalhando no futebol paraense. Comprar um terreno para construir um centro de treinamento e revelar garotos é uma das ideias do jogador, que espera poder contribuir para melhorar o nível do futebol do estado.

Clubes que defendeu:
Matsubara, Vasco, América-RN, Matonense, Lucerna-SUI, Portuguesa Santista, Remo,
Paysandu, Santo André, Ceará, Goiás,
Castanhal-PA, Bacabal-PA e Independente-PA

Gian ajudou o Independente de Tucuruí a ser campeão paraense em 2011 (Foto: Ag. Estado)

– Hoje, o estado do Pará não tem nada a oferecer para o futebol dentro de campo. Não há investimento, a estrutura é precária demais. O que existe é um torcedor apaixonado que, mesmo sem ver o time que gostaria, gasta seu dinheiro e vai ao estádio. Precisamos mudar essa realidade – emendou.
E esse sonho, para Gian, passa por uma vitória contra o São Paulo. Como nos velhos tempos de Vasco.

terça-feira, 6 de março de 2012

Equipe do Galo Elétrico

Muralha do Independente está pronta para encarar o Luis Fabiano

Zagueiros Preto Barcarena, Ádison e Alexandre Recife prometem não dar espaço para o Fabuloso, que será a cara nova do Tricolor nesta quarta-feira


Recuperado de lesão muscular que o afastou dos gramados por um mês, o atacante Luis Fabiano será a grande novidade do São Paulo para a partida desta quarta-feira, contra o Independente-PA, em Belém, pela primeira fase da Copa do Brasil. O camisa 9 não deverá ter condições de atuar nos 90 minutos, mas poderá finalmente matar a saudade da bola. E a presença do Fabuloso deixa o trio de zagueiros do time paraense em alerta. Preto Barcarena, Ádison e Alexandre Recife prometem vigiar o tricolor durante os 90 minutos.
– Todos sabem que o Luis Fabiano é fora de série, jogador de Seleção Brasileira e que já disputou uma Copa do Mundo. Tem de ficar ligado nele o tempo todo. O Luis sabe usar muito bem o corpo, se você deixá-lo virar, está morto. Apesar de saber da qualidade dele e do time do São Paulo, não podemos ter medo. Dentro de campo são 11 contra 11 e vai vencer o melhor time – afirmou Alexandre Recife, que veio para a equipe de Tucuruí após uma passagem pelo Náutico.

Muralha do Independente está pronta para encarar Luis Fabiano (Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)

Para o zagueiro, Luis Fabiano é extremamente perigoso, mas depende muito da ação dos meias e dos volantes, que têm de fazer a bola chegar na área. Alexandre Recife diz que aí está o que pode ser a chave do sucesso do Independente.
– Não podemos deixar o meio-campo criar. Os jogos do São Paulo sempre passam na TV e você observa que os volantes saem para o jogo, levam a bola para o ataque. A marcação precisa ser muito forte aí. Se dificultarmos a chegada da bola na frente, nossa chance de sucesso poderá ser maior – analisou.
Dos três defensores, o mais experiente é Ádison, que está no Independente desde o segundo semestre de 2010. Ele já viveu o bom momento, que foi quando a equipe conquistou o título paraense de 2011, e o lado ruim, que foi o primeiro turno do Paraense deste ano, quando a equipe terminou entre os últimos. Por isso, enfrentar o São Paulo e Luis Fabiano só deixa o beque louco de vontade de jogar.
– Todo jogador gosta de atuar em jogos como esse, contra grandes adversários e grandes jogadores. É quando você tem a chance de mostrar seu potencial e lutar por novas conquistas na carreira. É claro que o Luis Fabiano traz uma preocupação a mais, por tudo que ele já fez no futebol. Mas não podemos ter medo. Temos de jogar e buscar o nosso resultado – ressaltou.
Preto Barcarena, por sua vez, é o mais quieto dos três. No entanto, apesar de pouco falar, ele mostra confiança e acredita que sua equipe possa seguir adiante na Copa do Brasil.
– O Independente pode levar o jogo para o Morumbi e até classificar, não é impossível. A Copa do Brasil reserva surpresas. Para saber o que pode acontecer, a única alternativa que temos é entrar em campo e trabalhar – disse.

Treinamento do Independente no Mangueirão, nesta terça-feira (Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)

Independente oferece bicho de R$ 50 mil para garantir jogo de volta

Presidente Deley Silva diz que será estranho atuar como mandante nesta quarta-feira diante da imensa maioria da torcida são-paulina, em Belém

Presidente Deley Silva quer jogar no Morumbi (Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)


Com uma folha de mensal de R$ 120 mil para todo o departamento de futebol, a diretoria do Independente-PA trabalha duro para manter os pagamentos em dias. Mesmo assim, por iniciativa do presidente Deley Silva, haverá um forte incentivo financeiro para que o time leve para o estádio do Morumbi, na próxima semana, a decisão da vaga na Copa do Brasil, contra o São Paulo. Caso o time evite a derrota por dois gols de diferença, o que encerraria o confronto, os 20 atletas relacionados irão dividir um bicho de R$ 50 mil, o que dá R$ 2.500 para cada atleta. Para ter uma ideia de quanto esse valor representa, jogadores como o atacante Cafu, por exemplo, recebem R$ 1 mil de salário.
– Isso foi acertado previamente com os jogadores dentro das possibilidades atuais do clube. Todos aqui estão muito animados com o jogo, é o jogo da vida do Independente. Todos aqui sabem da força do São Paulo, mas não é proibido sonhar. Já fizemos história no futebol paraense ao nos tornamos, após 100 anos, a primeira equipe do Interior do Pará a conquistar um título estadual. Agora queremos mostrar o nosso nome na Copa do Brasil – afirmou o presidente.
Há um ano, não existe problema de dinheiro no Independente. O meia Gian, maior salário do elenco (R$ 8 mil mensais) diz que a diretoria tem feito um trabalho exemplar para que o time entre em campo sem problemas financeiros.
– Tudo que eles prometem, eles cumprem. Não temos nada a reclamar. Mas, independentemente do dinheiro, temos de entrar em campo e fazer a nossa parte.
A realidade é dura. Nesta quarta-feira, por exemplo, apesar de ser o mandante da partida, Deley sabe que sua equipe será visitante no estádio Mangueirão, em Belém, já que a torcida são-paulina será amplamente superior. A Prefeitura de Tucuruí disponibilizará 50 ônibus para sair da cidade nesta quarta-feira, mas os 450km de distância, que são percorridos em oito horas, deve fazer muitos torcedores locais desistirem.

Valter Lima promete dificultar a vida do São Paulo(Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)

– O certo seria jogarmos na nossa casa, em Tucuruí, mas não foi possível. Lá, teríamos oito mil torcedores pressionando o adversário. Por isso, enfrentaremos uma situação atípica de jogar contra o São Paulo, no Pará, e a torcida rival será maior. Mas temos de passar por cima dos obstáculos. Por outro lado, essa força da torcida são-paulina pode ser importante para encher o estádio e nos garantir um importante dinheiro – ressaltou o dirigente.
O técnico Valter Lima, esbanjando tranquilidade, não mostra a menor preocupação com o fato de jogar com maioria de torcedores contra nesta quarta-feira, em Belém, na estreia da Copa do Brasil.
– A torcida só joga a favor se o time, dentro de campo, estiver correspondendo. Por isso, se fizermos bem a nossa parte, com organização e muita vontade, poderemos dificultar as coisas para o São Paulo – disse.

Independente-PA arma ferrolho para segurar o São Paulo e adiar decisão

Técnico Valter Lima monta esquema com três zagueiros e seis no meio de campo. Veterano Gian, ex-Vasco, é a referência da equipe na armação

Independente-PA treinou jogadas de bola parada no Mangueirão(Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com

Com apenas quatro anos de vida, o Independente de Tucuruí está pronto para o maior jogo de sua curta história, nesta quarta-feira, contra o São Paulo, pela primeira fase da Copa do Brasil. Na manhã desta terça, o técnico Valter Lima comandou um treino no estádio Mangueirão, palco do duelo contra o Tricolor e manterá o ferrolho que vinha atuando nas últimas partidas para tentar ao menos levar a definição da vaga para a próxima quarta-feira, dia 14, no Morumbi.
O treinador comandou um coletivo de aproximadamente uma hora, onde trabalhou principalmente a marcação no meio-campo e a saída rápida para o contra-ataque. O esquema tático utilizado será o 3-6-1, com três zagueiros, seis homens no meio-campo e apenas um atacante. Apesar da formação, Valter Lima acredita ser possível complicar a vida do São Paulo.
- Temos um posicionamento e uma organização tática que precisam ser seguidos independente de quem iremos enfrentar. No futebol, não adianta você pensar apenas em momentos específicos. A cada jogo você precisa ter dinâmica, ser organizado e, acima de tudo, buscar o seu objetivo. Acredito que possamos fazer um bom jogo.
O lado psicológico não preocupa Valtinho, como também é chamado. Para ele, a exposição que a partida desta quarta proporcionará será maior do que o medo que os atletas possam ter de entrar em campo e enfrentar Luis Fabiano, Lucas e outras estrelas.
- Isso está bem conversado com os atletas. Para muitos deles, o jogo contra o São Paulo é a chance de mostrar serviço, de poder sonhar com algo maior na carreira. Por isso, todos estão super motivados, sabendo o que podem e o que devem fazer em campo.



Válter Lima reuniu os jogadores para uma conversa no campo (Foto: Marcelo Prado / Globoesporte.com)

O meia Gian, ex-Vasco e maior craque do time, segue a linha de raciocínio do comandante.
- Para o Independente, que tem apenas quatro anos de vida, é o maior jogo da história. Não temos nada a perder, mas sabemos que, para ter alguma chance, precisamos mostrar o melhor jogo da nossa vida e ainda rezar para eles estarem em uma noite ruim.

Se não ocorrer nenhum problema de última hora, o Independente entrará em campo com: Dida; Preto Barcarena, Adson e Alexandre Recife; Lima, Silva, Fidélis, Gian, Thiago Floriano e Rafael Vieira; Ró.
Fonte: Globoesporte.com

Com o veterano Gian o Independente tentará surpreender o São Paulo

Bate bola em campo reduzido e um coletivo entre reservas e titulares foram as principais movimentações do time do Independente-PA, durante treino realizado nesta manhã. As atividades foram no Estádio do Mangueirão, onde o time de Tucuruí enfrenta o São Paulo pela Copa do Brasil, nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília).
O nome mais chamado pelos jogadores durante o treino foi o do meia Gian, 37 anos, referência do time. Campeão mundial Sub-20 com a Seleção Brasileira em 1993 e campeão da Libertadores de 1998 com o Vasco, Gian chegou a pendurar as chuteiras em 2009, mas voltou a jogar no ano seguinte. Em 2011 o veterano jogador ajudou o Independente-PA a ser campeão paraense.
Hoje, o objetivo é apenas conseguir forçar uma segunda partida no Morumbi. "A gente quer ganhar pelo menos de um a zero para poder sonhar. Mas somos inteligentes o suficiente pra saber que se o São Paulo jogar tudo que sabe fica um pouco complicado", admite.
Depois de jogar com o ídolo tetracampeão Romário, na década de 1990, Gian agora é referência de outro Romário, 18 anos, caçula do time. Mais conhecido como Romarinho, o também atacante passou boa parte do treino rondando Gian. Ao final, explicou que não é por acaso. "Ele é muito gente boa, a gente sempre conversa muito e eu busco aprender o máximo", conta Romarinho.
Embora tenha jogado como titular no primeiro turno do Campeonato Paraense, com um gol marcado, Romarinho passou a frequentar o banco de reservas, com a chegada do novo técnico, Valter Lima. "Tenho que torcer primeiro para ser relacionado", afirma.
Entre os muitos conselhos a Romarinho, Gian enfatiza que o atacante deve procurar sempre aproveitar os bons momentos do futebol, já que passam e não voltam mais atrás. Quanto ao estilo de jogo, ao comparar com Romário de Souza Faria, o meia aconselha Romarinho a treinar as arrancadas. "Esse era um grande diferencial de Romário, por isso é bom enfatizar essa explosão", concluiu.
Felipe Faraon - Portal Terra

Independente Tucuruí quer o apoio da dupla Re-Pa

Independente fez história no Parazão 2011 e agora mira a Copa do Brasil (Foto: Mário Quadros)

Primeiro clube do interior a conquistar o título do Campeonato Paraense e líder do segundo turno do Parazão 2012. É com esta bagagem que o Independente Tucuruí enfrenta o São Paulo nesta quarta-feira (7), às 22h, no estádio Mangueirão, pela primeira fase da Copa do Brasil.
No último treino antes da partida, realizado na manhã desta terça-feira (6), no Mangueirão, Valter Lima testou a equipe no esquema 3-5-2 e 3-6-1. “Nós devemos testar as variantes durante o treino, para poder, se necessário, improvisar durante o jogo”, explicou Valtinho. O técnico deve escalar o seguinte time nesta quarta-feira: Dida; Preto Barcarena, Adison, Alexandre Recife; Lima, Silva, Fidelis, Gian e Rafael Vieira; Thiago Floriano e Ró.
Parar o São Paulo não vai ser uma tarefa fácil para o Galo elétrico. Jogadores de seleção como Luís Fabiano e Lucas são os que mais preocupam o time de Tucuruí. Mas não são os únicos. “Devemos nos preocupar com todo o time deles, pois tem muita qualidade”, declarou Gian. Para Valter Lima, a única saída é jogar bem e saber aproveitar o apoio da torcida.
A ideia inicial do Galo Elétrico era jogar ao lado de sua torcida, em Tucuruí, mas a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) marcou o jogo para a capital paraense. “Enviamos um pedido à CBF para que jogássemos no nosso estádio. Infelizmente, eles não nos responderam”, afirmou o presidente do Independente, Deley Santos. Para fazer um bom jogo e poder disputar a segunda partida em São Paulo, os jogadores e a comissão técnica esperam contar com o apoio dos torcedores de Paysandu, Remo e Tuna. Além desses, caravanas com torcedores de Tucuruí, Breu Branco, Novo Repartimento e Goianésia estão chegando a Belém para apoiar o Galo Elétrico.

INGRESSOS
Foram disponibilizados 30 mil ingressos para a partida. Os torcedores podem adquirir as arquibancadas por R$ 20 e as cadeiras R$ 40. Os bilhetes estão sendo vendidos nos estádios Baenão, Curuzu e Mangueirão.

PREMIAÇÃO
O regulamento da Copa do Brasil é categórico: se o time da casa perder a primeira partida por dois gols de diferença já é eliminado, perdendo o direito de realizar o jogo de volta. Para incentivar os atletas, a diretoria do Independente está oferecendo uma premiação de R$ 50 mil para ser rateada pelos jogadores que conseguirem levar a equipe para a partida de volta em São Paulo, que está marcada para a próxima quarta-feira (14), às 19h, no Morumbi.

PARAENSES NA COPA DO BRASIL
O Independente é o oitavo clube paraense a participar da Copa do Brasil. Os outros sete clubes são: Clube do Remo (20 vezes), Paysandu (15 vezes), Tuna Luso (4 vezes), Águia de Marabá (2 vezes), Ananindeua (1 vez), Castanhal (1 vez), São Raimundo (1 vez). A equipe paraense que chegou mais longe foi o Remo, em 1991. O Leão foi eliminado nas semifinais pelo Criciúma (SC), campeão daquela edição.
(Felipe Melo, DOL)

Jogadores do Galo ganham 'milho' a mais para garantir jogo da volta



Com uma folha salarial próxima dos R$ 120 mil - bem menos que a do São Paulo, que é de cerca de R$ 4 milhões -, o Independente enfrenta o Tricolor paulista às 22h desta quarta-feira (7), no Mangueirão, em Belém, com a missão de não perder por dois gols ou mais de diferença e, assim, garantir que haja o jogo de volta, no Morumbi, para ficar com a toda a renda da bilheteria do estádio Olímpico do Pará. Para isso, um incentivo a mais já foi prometido pela diretoria tucuruiense.

Em entrevista ao Portal ORM, o presidente Deley Santos falou abertamente sobre o 'milho a mais' que será dado para o Galo: 'Este é um jogo histórico para todos nós. É o mais importante da vida da maioria no Independente, então, reunimos com todos e falamos que, se conseguirmos o jogo da volta (no Morumbi), vamos dar R$ 50 mil para ser distribuído entre o elenco', contou.

Para ressaltar a importância deste 'milho', Deley lembrou que 'o Independente veio de Tucuruí e gastou com passagens, hospedagens e alimentação e está muito próximo de alcançar uma boa quantia em dinheiro com a renda deste jogo contra o São Paulo. Então, como os ingressos estão com uma ótima venda, não podemos perder a totalidade desta verba', disse. Caso o São Paulo vença por dois gols ou mais de diferença, eliminará o jogo da volta e ficará com 60% da renda do Mangueirão.

Os ingressos seguem sendo vendidos na Curuzu, no Baenão e no Mangueirão, em Belém, com os valores de R$ 20 para arquibancadas e R$ 40 para cadeiras. Conforme a Federação Paraense de Futebol, as entradas de meia-entrada já foram esgotadas.

Após ter sido o campeão paraense de 2011, o Independente, que treino hoje de manhã no Mangueirão (veja na foto abaixo!), chega para sua primeira participação na Copa do Brasil, competição que já teve a presença de outros sete times paraenses, são eles: Remo (20 vezes), Paysandu (15 vezes), Tuna Luso (4 vezes), Águia (2 vezes), Ananindeua (1 vez), Castanhal (1 vez), São Raimundo (1 vez).
Redação Portal ORM
Foto: Bruno Magno (Portal ORM

Cafu deixará de lado a paixão pelo Tricolor

Torcedor fanático do São Paulo, rival da equipe paraense na quarta, pela Copa do Brasil, jogador sonha com grande atuação para melhorar de vida.

Leomar Pereira da Silva tinha apenas seis anos quando viu, nas imagens em preto e branco do velho aparelho de televisão de sua casa, o São Paulo de Muller, Cafu, Leonardo, entre outros craques, bater o poderoso Milan, em Tóquio, no Japão, e conquistar o segundo título mundial de sua história, em 1993. Por influência de um amigo e companheiro de peladas no bairro em que morava em Tucuruí (PA), o atacante Leomar passou a ser chamado de Cafu.
As dificuldades vividas na infância e na adolescência não tiraram do garoto o sonho de ser jogador de futebol. Também não fizeram diminuir sua paixão pela equipe do Morumbi. Em 2010, então com 25 anos, o garoto chegou ao patamar que tanto sonhava. Largou um emprego de assistente de solda na hidroelétrica da cidade para vestir a camisa do Independente de Tucuruí. Dois anos depois, o destino o coloca frente a frente com o clube que aprendeu a amar. Nesta quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no estádio Mangueirão, em Belém, Cafu estará no grupo que viverá o ponto mais alto da curta história do Independente de Tucuruí: o jogo contra o São Paulo, pela primeira fase da Copa do Brasil.
saiba mais
Jogador de futebol dá a volta por cima na Tailândia
Hugo Hoyama conquista a vaga em Londres e irás às Olimpíadas pela sexta vez
Poder enfrentar um dos grandes times do futebol brasileiro já seria especial. Enfrentar o time do coração, então, é demais para o humilde jogador que, com os R$ 1 mil que recebe por mês, consegue sustentar a família e ainda construiu uma casa onde mora com a mulher, a filha e a mãe.
- Faz cinco meses que só penso nesse jogo. Agora, faltam dois dias. Não consigo dimensionar a emoção que vou sentir, estarei perto de ídolos, como o Luis Fabiano. Esses caras são top, estão lá em cima. Também poderei ver o Lucas de perto. Sem dúvida, estou motivado demais. Espero que possa ganhar a chance de jogar para poder completar esse sonho – afirmou o jogador, que recebeu a reportagem do SporTV News em sua residência, na última segunda-feira.
Não faço grandes planos, mas espero que esse jogo possa mudar a minha vida"
Cafu
A rotina que Cafu enfrenta diariamente começa com uma caminhada de aproximadamente 15 minutos até o estádio Navegantão, onde a equipe do técnico Valter Lima treina. No trajeto, ele coloca uma música no celular e vai fazendo uma batucada. No caminho, encontra amigos que o incentivam, que o aplaudem, que o fazem manter cada vez mais vivo o sonho de buscar algo maior dentro do futebol.
- Meu contrato aqui é de apenas seis meses sempre. Vale para o primeiro semestre, quando disputamos o Paraense. Quando vamos bem, conquistamos a vaga na Série D do Campeonato Brasileiro e aí, consigo completar todo o ano com carteira assinada e dinheiro em casa o ano todo. Cuido da alimentação de todos e, com o que sobra, estou realizando o sonho da minha mãe, que é construir uma casa para ela - conta o jogador.
Para isso ocorrer, Cafu sonha com uma proposta maior de outra equipe do futebol brasileiro. Por isso, o jogo contra o São Paulo é como se fosse uma final de Copa do Mundo. Uma jogada, um passe, um gol podem mudar a vida do rapaz que, apesar do modestíssimo orçamento, mantém um penteado invocado, à la Neymar.
- Se você me perguntar qual seria o mundo ideal hoje, eu lhe diria que seria enfrentar o São Paulo e poder marcar um gol. Seria especial demais. Sou um cara de muita fé e sei que, se continuar lutando, uma hora algo vai acontecer. Não faço grandes planos, mas sei que posso jogar em um clube de maior expressão. Espero que esse jogo possa mudar a minha vida - disse.


Cafu ganha R$ 1 mil mensais e mora em uma modesta casa em Tucuruí (Foto: André Hernan / Sportv.com)
Quando a bola rolar no Mangueirão na quarta-feira, a paixão de Cafu ficará adormecida. Mas, assim que o potiguar Suelson França Medeiros apitar o final da partida, o atacante dará lugar ao torcedor que tem seus objetivos muito bem definidos.
- O lado tiete só pode aparecer no final. Aí, vou querer uma foto, um autógrafo. Quem sabe até uma camisa. Seria fantástico – concluiu.


Por André Hernan e Marcelo Prado - SPORTV

Independente vai confiante para cima do São Paulo

Gian já enfrentou o São Paulo antes (Foto: Mário Quadros)


Depois de conquistar a segunda vitória consecutiva no Parazão, no último sábado (3) contra o Cametá, o Independente foca as suas atenções para a estreia na Copa do Brasil 2012. O jogo acontece amanhã contra o São Paulo (SP), no Mangueirão, às 22 horas. Os três pontos colocaram o Galo Elétrico na liderança do segundo turno e aumentaram a confiança do técnico Válter Lima para embate diante do tricolor paulista. O técnico diz que os paulistas não metem medo, mesmo sendo considerado um dos grandes clubes do país. Válter comparou o confronto com a passagem bíblica da luta entre Davi e Golias.

“O São Paulo é uma estrutura monstruosa e tem toda a sua tradição. Mas, no futebol tudo é aberto. É uma luta da Davi contra Golias. Queremos ser um Davi contemporâneo com alguma artimanha para vencermos. Respeitamos a história do São Paulo, mas vamos jogar para vencer”, garante Lima. Como se trata de outra competição, o treinador terá a disposição todos os jogadores que não jogaram contra o Mapará, como é o caso de Lima, titular da lateral direita.

Deley Santos, presidente do Independente, também demonstra a mesma confiança do treinador. “Com certeza vamos fazer história contra o São Paulo. Eu tenho recebido ligações de várias pessoas que vão torcer por nós. Eu acredito no Independente. Hoje em dia, o futebol está nivelando. Não tem mais essa de, só porque um time é de São Paulo, vai meter três, quatro. Tenho certeza que vamos fazer uma boa apresentação”, acredita.

A delegação do Galo vem com 22 jogadores a Belém. Hoje, Válter realiza coletivo no Mangueirão e deve definir a equipe. Contudo, alguns jogadores, como meia Gian, capitão do time, é peça certa na escalação. Ele já chegou a enfrentar o São Paulo quando era do Remo. (Diário do Pará)

Independente-PA? São Paulo vai a Belém sem conhecer rival da estreia

Jogadores do Tricolor dizem não ter informações sobre o time paraense, mas não temem surpresas na Copa do Brasil.
O São Paulo terá pela frente um desconhecido na estreia pela Copa de Brasil. O Independente-PA chegou recentemente à primeira divisão do Pará e já quebrou uma escrita de 103 anos: foi o primeiro time do interior a ser campeão estadual – a equipe é de Tucuruí, cidade que fica a mais de 400 quilômetros de distância da capital Belém. A equipe ainda segue motivada por vim de três vitórias seguidas no campeonato paraense mesmo depois de ter feito um primeiro turno desastroso.
Na sua última partida do primeiro turno a equipe da terra da energia goleou fora de casa um dos finalistas, e em seguida, venceu o campeão do turno.

O elenco tricolor, porém, não sabe muito mais do que isso sobre o adversário da próxima quarta-feira, às 22h.
– Não foram passadas informações sobre o Independente. A comissão técnica procura sempre fazer isso na véspera da partida. É complicado disputar um jogo desse tipo, poque não conhecemos o adversário, mas, aos poucos, vamos sabendo as características deles. Pergunto ao (técnico Emerson) Leão quais são os pontos fortes dos atacantes e vamos nos ajustando – disse o zagueiro Rhodolfo.
Na Copa do Brasil, não raras vezes um time desconhecido surpreende e desbanca favoritos. O meia Cícero, campeão da competição em 2007, pelo Fluminense, já viu esse filme. Para levantar a taça, o Flu teve de passar, na semifinal, pelo surpreendente Brasiliense, que já havia eliminado o Cruzeiro. Agora, o jogador tem a receita para evitar sustos com os candidatos a time revelação: atenção redobrada.
– Pode assustar. Quando o time é desconhecido, pode nos pegar de surpresa, mas a comissão técnica já o estudou e vai nos passar. Vamos entrar muito concentrados para não sermos surpreendidos. A Copa do Brasil é o caminho mais curto para chegar à Libertadores. Por isso, precisamos estar focados desde o primeiro jogo – disse Cícero.
As características dos jogadores do Independente são desconhecidas para o elenco são-paulino, mas alguns obstáculos já são previstos. Rhodolfo alerta para a motivação extra do time paraense para encarar o São Paulo.

– É a chance deles de se mostrarem para o Brasil. Vão dar a vida. Sabemos que vontade e não vai faltar ao Independente. Mas vamos entrar concentrados, porque não fizemos uma boa competição ano passado. Desta vez, o São Paulo tem tudo para tentar ser campeão – disse o zagueiro.

Fonte: globo.com

segunda-feira, 5 de março de 2012

Independente e São Paulo com estruturas bem diferentes

Estádio Navegantão, casa do Independente (Foto: Gabriel Saraceni)


Se a disputa fosse para ver quem tem a melhor estrutura, goleada do São Paulo. Sem esta rivalidade, o Independente, de Tucuruí, cidade localizada a cerca de 400 km de Belém, no Pará, ainda tem esperanças de ao menos levar o confronto da Copa do Brasil para segunda partida. Se sofrer dois ou mais gols de diferença no Mangueirão, nada de outra chance. O primeiro duelo será na quarta-feira.

No domingo a reportagem do LANCENET! esteve pela manhã no Navegantão, estádio da Prefeitura, onde o técnico Valter Lima trabalha seu time para a estreia no torneio. E a estrutura vista mostra a diferença entre os rivais. Hoje a delegação vai de ônibus para Belém, onde treina amanhã. É a primeira vez que um clube do interior do estado conquista uma vaga.

São Paulo tem uma estrutura monstruosa. A diferença maior não é nem o dia de trabalho, que você se adapta. Mas existe sonho de uma estrutura melhor, em que sai do braçal e a precupação é só o futebol. Aqui temos de dividir e fazer funções que não são nossas - explicou o técnico Valter Lima.

O Indepedente cresceu e um dos fatores foi a qualidade técnica do time e a motivação por receber em dia. Futebol tem de administrar problema. Cada dia se resolve um para acertar a estrutura - completou o comandante.

Chuveiros do vestiário do Navegantão (Foto: Gabriel Saraceni)


A diferença entre São Paulo e Independente começa no elenco. Lucas, por exemplo, recebe cerca de R$ 120 mil. Com este valor o presidente Derley Santos paga todo seu elenco. Gian, que teve passagem por Vasco e categorias de base da Seleção Brasileira, é o mais valorizado. Recebe R$ 8 mil, enquanto Cafu, garoto que é natural da cidade, ganha R$ 1,5 mil. Para cumprir os compromissos o mandatário recebe R$ 104 mil por mês de nove patrocinadores. Por ironia o Sampa não conta com parceiro master. Isso porque briga por ao menos R$ 30 milhões para estampar a camisa.

Onde treina e manda suas partidas há um modesto vestiário, organizado pelo mordomo Rone. Além dele e do técnico, mais cinco membros da comissão técnica. Médico e fisioterapeutas, por exemplo, não convivem no dia a dia e são terceirizados. Concentração e moradia? Nada de regalias. Duas casas: uma para nove atletas e outra para 17.

Mesmo sem estrutura, o Independente sonha em semana que vem visitar o Morumbi em São Paulo. Para isso, Derley acertou salários, o que motivou os jogadores.

Saiba uma pouco da diferença entre os dois clubes

Salário
O São Paulo gasta cerca de R$ 4 milhões por mês para remunerar todo elenco e comissão técnica. Jadson, Luis Fabiano e Rogério Ceni são os mais bem pagos. O Independente tem folha de R$ 120 mil.

Centro de treinamento
O Tricolor tem dois, sendo um para base, em Cotia, e outro para o profissional, em São Paulo. No da garotada recentemente foi inaugurado um hotel. A concentração acontecer nos dos lugares. Independente aluga duas casas para seus jogadores e onde treina no dia a dia não tem alojamento.

Mando de jogo
O estádio conta com modernas instalações e vestiário em perfeitas condições. No Navegantão a estrutura é precária, com infiltrações nos banheiros, por exemplo. Cada jogador do Tricolor conta com uma foto e cavetas para colocar seus pertences. Os paraenses depositam em cestinhas e caixas.

Vestiário do Navegantão (Foto: Gabriel Saraceni)


Derley Santos, presidente do Independente, em entrevista ao LANCENET!:

LANCENET!: Pagar o salário em dia faz diferença para um clube pequeno?
Derley Santos: O jogador de futebol é um profissional como qualquer outro e tem contas para pagar. Tem de mandar dinheiro para família pagar as contas. Se isso não acontece não tem cabeça para trabalhar. Pagando em dia, como ano passado, foi nossa maior arma para um time do interior vencer. Foi fundamental. Agora, depois de começar mal, acertamos tudo e o time ganhou duas.

L!: Por que teve problemas?
D.S.: Depois do título fomos jogar a Série D, o que nos deu prejuízo. A CBF não dá bola e não liga, daí acontece isso. Mas agora conseguimos acertar a o dinheiro (R$ 120 mil) da Copa do Brasil vai nos ajudar muito.

L!: Vai ter bicho extra se conseguirem jogar em São Paulo?
D.S.: Com certeza. O que o Luis Fabiano ganha paga seis, sete folhas salariais nossas. Mas as coisas estão niveladas e com incentivo e as últimas vitórias ganhamos moral e estamos com alto-estima elevada.

L!: Foi procurado por novos patrocinadores? E a estrutura do clube?
D.D.: Fomos procurados por empresas de São Paulo, mas temos parceiros desde a Segunda Divisão. Tirar no filé quem nos apoia desde o início não era certo. Tivemos propostas vantajosas, que daria para quitar uma folha salarial. A estrutura vai melhorar. Temos projeto de um CT, que logo será colocado em prática.

Fonte: Lancenet

Segunda rodada derruba treinadores



Os resultados da segunda rodada da Taça Estado do Pará, segundo turno da fase principal do Parazão, mexeram com o comando das duas equipes em pior situação na tabela de classificação. Nad e Charles Guerreiro deixaram o comando de Paysandu e Tuna, respectivamente, e novos treinadores devem ser anunciados nos próximos dias. A rodada também confirmou o crescimento do Independente na competição.

Jogando em Tucuruí, o Galo abriu a rodada na tarde de sábado (3) com uma vitória por 2 a 0 sobre o Cametá, campeão do primeiro turno, mas que continua sem vencer no segundo. O Independente vinha de vitória na estreia, e agora soma 6 pontos ocupando a liderança da Taça Estado do Pará, por ter marcado um gol a mais do que o São Francisco. O Cametá vinha de um empate sem gols na estreia em casa, e com a derrota em Tucuruí permaneceu com apenas 1 ponto na sexta posição.

Ainda no sábado (3) a Tuna foi derrotada pelo Águia por 2 a 1 em Marabá. No duelo das águias, o time da casa levou a melhor e se recuperou da goleada sofrida para o Remo na estreia do segundo turno, e subiu da lanterna para a 4ª posição com 3 pontos. Já a Tuna Luso, perdeu o jogo e o treinador Charles Guerreiro, que já assumiu o São Raimundo no domingo (4). O clube cruzmaltino perdeu as duas partidas que disputou no turno, e agora ocupa a lanterna da competição.

Na manhã de domingo (4) o Paysandu recebeu o São Francisco disposto a engrenar definitivamente na competição, mas foi goleado em casa pela equipe de Santarém por 3 a 0. A derrota custou o cargo do técnico Nad, que deixa o comando do time principal e volta a comandar as categorias de base do Papão. Com o empate na estreia do turno e a derrota deste domingo, o Paysando fica na 7ª posição com 1 ponto, e saldo negativo de 3 gols. Depois de vencer o rival na estreia do Turno, o São Francisco chega a 6 pontos e divide a liderança com o Independente, mas fica na segunda posição por ter marcado um gol a menos.

No final da tarde de domingo (4) São Raimundo e Remo encerraram a rodada empatando em 1 a 1 em Santarém. O Leão tentava manter a liderança conquistada com a goleada sobre o Águia na estreia, mas termina a rodada na terceira posição, com 4 pontos. O Pantera, que estreou no turno sendo derrotado pelo rival, contou com o técnico Charles Guerreiro, que chegou durante a tarde em Santarém e já assumiu o clube, mantendo o ex-técnico Nildo Pereira como auxiliar. O empate deixou o clube em 5ª lugar com 1 ponto e saldo negativo de 1 gol.

Confira os jogos da próxima rodada:

CAMETÁ x SÃO FRANCISCO, Quinta-feira (8) às 20h30 no Parque do Bacurau, em Cametá.

REMO x INDEPENDENTE, Domingo (11) às 10h no Baenão, em Belém.

SÃO RAIMUNDO x ÁGUIA, Domingo (11) às 18h30 no Barbalhão, em Santarém.

TUNA x PAYSANDU, Segunda-feira (12) às 15h30 no Souza, em Belém.

(Alexandre Nascimento / DOL)

domingo, 4 de março de 2012

Galo vence mais uma no Parazão e confirma ascensão

O Galo Elétrico cantou forte no seu terreiro. Detonou o Cametá, campeão do primeiro turno, por 2 a 0, no estádio Navegantão, no sábado (3). Agora, o campeão paraense do ano passado chega a seis pontos na tabela. Dependendo dos resultados deste domingo pode chegar à condição de líder isolado no fechamendo da segunda rodada. O Cametá segue sem vencer neste turno. O jogo bem equilibrado e os gols foram marcados no segundo tempo. Em casa o Independente tomou a inciativa e logo criou sua primeira jogada de perigo com Gian cruzando e Thiago Floriano cabeceando para fora. Aos sete minutos, outra jogada de perigo do Galo. O zagueiro Adson subiu bem e testou forte por cima do gol de Ângelo.


Foi do time visitante a melhor chance de gol no primeiro tempo. Já nos acréscimos, Leonardo, até então pouco acionado, recebeu lançamento, avançou e passou pelo goleiro Dida, mas perdeu o ângulo para chute e passou bola para Ratinho, que na entrada da área mandou para fora.



No segundo tempo pouca coisa mudou. O Independente, mais voluntarioso em campo, querendo definir o palacar, e o Cametá se segurando. Depois dos quinze minutos aconteceram mudanças nas duas equipes. No Galo, a presença de Bruno Maranhão, no lugar de Gian, deu novo alento ao meio-campo. No Cametá, Conca entrou para reforçar a defesa.


Depois de tantas bicadas o Galo Elétrico chegou lá. Aos dezoito minutos o lateral Rafael deu bom passe para Tote que avançou livre e mandou um petardo sem chances para Ângelo. O gol aliviou a tensão dos tucurienses que ficaram mais relaxados aos 38 minutos quando aconteceu o segundo gol, marcado por Bruno Maranhão. O Independente dá uma pausa no campeonato estadual para se preparar visando o São Paulo, quarta-feira, 7, no Mangueirão, pela Copa do Brasil. Já o Cametá recebe o São Francisco, na quinta, 8, no Parque do Bacurau.

Vale lembrar que o Independente Tucuruí terminou o 1º turno na última colocação e com os resultados do 2º já está em 6º lugar geral. Hoje, Paysandu e São Raimundo cairiam para a 1º fase do parazão 2013. Será só um suspiro, ou o Galo Elétrico engrenou e buscará a façanha de 2011?

Texto: Dieh Kleine com informações do Jornal Amazônia

quinta-feira, 1 de março de 2012

Independente devolve a derrota a Tuna

O Independente reencontrou o caminho da vitória, após a goleado no último jogo do 1º turno sobre o Águia de Marabá, foi a vez de depenar a Aguia do Souza. Em um jogo pesado devido a chuva, o Independente se mostrou superior mesmo com 2 jogadores a menos e fez uma partida convincente do atual campeão paraense. Essa partida marcou a estréia do Zagueiro Guará ex-Independente pela equipe da Tuna. Acompanhe:

O JOGO (1º TEMPO):

1 minuto: Início de partida para Tuna Luso e Independente Tucuruí.

2 minutos: O meio-campo Gian cruza da direita e a bola bate na trave.

4 minutos: O meia Lineker recebeu dentro da área e furou na hora do chute. Grande chance para a lusa!

6 minutos: Após cobrança de escanteio, o zagueiro Guará quase marca, de cabeça.

8 minutos: Após cruzamento, o zagueiro Preto Barcarena abre o placar no estádio Francisco Vasques: Tuna 0 x 1 Independente.

12 minutos: Lineker cruza na área e o goleiro Dida defende, colocando para escanteio, evitando o empate da Tuna.

15 minutos: Quase o segundo gol do Galo Elétrico! Depois de cruzamento, o goleiro André Luiz conseguiu defender.

17 minutos: O Independente toca a bola no meio-campo, dificultando as jogadas da Tuna.

22 minutos: Meia Gian é o grande destaque da partida. O veterano jogador é o responsável por distribuir as bolas nas jogadas de contra-ataque do time de Tucuruí.

28 minutos: Novamente ele, o zagueiro Preto Barcarena, subiu mais do que a zaga tunante e ampliou: Tuna 0 x 2 Independente.

32 minutos: A Tuna Luso não consegue fazer uma boa partida diante do seu torcedor. O meio-campo tunante, que vinha sendo um ponto positivo no time, não cria jogadas para o ataque.

36 minutos: Gian pegou a bola pela esquerda e chutou. Por pouco o Independente não faz o terceiro gol.

42 minutos: O atacante Beá tenta passar pela zaga do Independente e recebe falta.

47 minutos: Final de primeiro tempo: Tuna 0 x 2 Independente.

O JOGO (2º TEMPO):

1 minuto: Bola rolando para o segundo tempo de Tuna x Independente. A lusa volta com duas alterações para o segundo tempo: sai Euller e Edilson, para a entrada de Rodrigo e Torrô, respectivamente.
2 minutos: As jogadas de bola aérea são motivos de dor de cabeça para o técnico Charles Guerreiro. Logo no início, Gian cruzou e Thiago Floriano, por pouco, não faz o terceiro gol do Galo.

4 minutos: Beá solta um petardo de fora da área, mas a bola vai para fora.

6 minutos: Time da Tuna voltou mais arrumado para o segundo tempo. Porém, peca na finalização.

10 minutos: Mais uma mudança na Tuna: sai Maraú, entra Ederson.

14 minutos: No Independente, sai Gian e entra Marçal.

15 minutos: Incrível! Após cobrança de escanteio, Max Emiliano perdeu gol dentro da área. Mais uma boa oportunidade que a Águia do Sousa não converte em gol.

18 minutos: Substituição no Independente: Edinaldo entra na vaga de Toti.

23 minutos: Ró recebe passe de Thiago Floriano e chuta rasteiro.

25 minutos: Após passar menos de 10 minutos em campo, o lateral-esquerdo Edinaldo recebe dois cartões amarelos e é expulso de campo.

26 minutos: Após contra-ataque, o meio-campo Marçal faz mais um gol para o Galo: Tuna 0 x 3 Independente.

32 minutos: O meia Lineker foi derrubado na área: pênalti! O lateral-direito Sinésio cobrou e diminuiu: Tuna 1 x 3 Independente.

34 minutos: O zagueiro Alexandre recebe o segundo amarelo e foi expulso. Mais uma expulsão no Independente.

37 minutos: Pressão tunante em busca do segundo gol.

42 minutos: Com dois jogadores a mais em campo, a Tuna não consegue passar pela consistente defesa da equipe de Tucuruí.

47 minutos: A terceira expulsão no jogo. Dessa vez, quem saiu do gramado foi o meia Lineker.

50 minutos: Final de partida no estádio Francisco Vasques: Tuna 1 x 3 Independente.

Tuna Luso: André Luis; Sinésio, Guará, Max Emiliano e Carlinhos Maraú (Ederson); Euller (Rodrigo), Ilaílson, André e Lineker; Beá e Edilson (Torrô).

Técnico: Charles Guerreiro.

Independente Tucuruí: Dida; Lima, Adson, Alexandre Recife e Toti (Edinaldo); Preto Barcarena, Fidélis, Silas e Gian (Marçal); Thiago Floriano (Gegê) e Ró.

Técnico: Válter Lima.

Local: Estádio Francisco Vasques.

Árbitro: Joquetam Moreira Guimarães.

Assistentes: Silvério Ferreira Pinto e Manoel Cardoso Santos.

Cartão amarelo: Edinaldo, Alexandre, Adson, Lima e Gegê (IND).

Cartão vermelho: Edinaldo e Alexandre (IND). Lineker (TUN)

Die Kleine com informações da Rádio Clube do Pará.